Nita diz que não se sentiu ‘constrangida’ após esperar na tribuna por 30 minutos para ler mensagem de Jeferson na Câmara

"Isso aqui não é um puxadinho do prefeito" disse Kikito ao questionar que a decisão contrariava o regimento interno da Câmara.

Nita espera na tribuna por 30 minutos para ler mensagem de Jeferson e Kikito dispara: ‘Aqui não é puxadinho do prefeito’-Foto Bahia Manchetes.

A Secretária Municipal de Educação e pré-candidata à prefeita de Madre de Deus, Nita de Brito (PP), afirmou que não se sentiu ‘constrangida’ após esperar por 30 minutos na tribuna da Câmara Municipal o desenrolar do debate entre os vereadores para obter autorização para ler a mensagem do prefeito Jeferson Andrade nesta terça-feira (4) durante abertura dos trabalhos no Legislativo.

“Engraçado, eu não me sentir constrangida, mas eu me sentir emocionada com a fala de cada um de vocês”, disse Nita para o delírio de uma claque de aliados e funcionários da prefeitura que lotaram o plenário da Câmara.

Sete minutos após a sessão começar, o presidente da Casa, vereador Paulinho de Nalva (PPR), pediu para Anselmo Durte (DEM) conduzir a Secretária Municipal de Educação até a tribuna. Em seguida, o vereador Kikito Tourinho (PPS) pediu questão de ordem para ler um trecho do regimento interno da Câmara, que segundo ele, contrariava a decisão do prefeito.

“Não cabe… Nada contra a Secretária Nita de Brita de educação fazer a mensagem, nem a ela, nem outro secretário ou outra pessoa do prefeito ou o próprio prefeito. Como é de costume aqui, sempre diz: ‘ah, que outras pessoas vêm’. Tudo bem, é aberta as prerrogativas, mas o que eu questiono já no início dos trabalhos, a gente já entrar neste embate. Porque se a gente não pode decidir pelo regimento, então é melhor a gente rasgar. Esquecer o regimento e começar cada um fazer da forma que pode e que quer”, diz Kikito, acrescentando que o primeiro secretário Val Peças que deveria ler a mensagem de Jeferson na Câmara.

“Isso aqui não é um puxadinho do prefeito, pra ele achar que tudo que ele deu ideia, chagar aqui tem que implantar. Não! Isso aqui é uma Câmara, é um poder, tem que ter respeito”, disse o edil em outro momento.

O parlamentar Anselmo afirmou que durante 30 anos viu diversos secretários ler mensagens encaminhadas por prefeitos.

“Nós não vamos criar este constrangimento para nossa Secretária Eranita de Brito, Secretária de Educação, que diga-se de passagem secretária, a senhora é uma excelente secretária de educação, tem mostrado, a sua competência a frente da secretária de educação que hoje serve de exemplo para outros municípios”, diz Anselmo.

Logo depois, o edil sugere que o presidente determine que o plenário decida. Depois disso, o debate se estendeu por mais 26 minutos, enquanto Nita assistia da tribuna, os vereadores debater o assunto. Até ela finalmente obter autorização da Câmara e ler a mensagem do chefe do Executivo.

Em seu pronunciamento, a secretária de educação pediu aos parlamentares para fazer alguns agradecimentos antes de fazer a leitura. Ele destacou que entende o posicionamento dos vereadores e defendeu que o regimento interno que ela definiu como a “história de Madre de Deus” não pode ser “rasgado”.

“Passei por essa casa durante 15 anos, porque o primeiro mandato de Madre de Deus foram 3 anos e não 4. Por conta do ano que foi a emancipação política. Esse tipo de discussão já teve muitas, hoje já teve essa e vai ter muito mais. Porque se não era um monte de robôs que estariam aqui e não é isso que queremos para nosso município”, declarou Nita, pouco antes de ler a mensagem do gestor.