Mulher agredida por policial durante festa de Iemanjá, em Salvador

A imagem foi gravada  por testemunhas após outro caso de agressão de PMs em Salvador.

Mulher é agredida no rosto por PM na festa de Iemanjá — Foto: Reprodução/TV Bahia.

Um vídeo que circula nas redes sociais registra uma mulher sendo agredida por um policial durante as comemorações a Iemanjá, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador , no último domingo (2). A imagem foi gravada  por testemunhas após outro caso de agressão de PMs em Salvador, só que no bairro de Paripe, subúrbio ferroviário, onde um policial militar agrediu um rapaz com murros e chute, além de dizer insultos racistas ao se referir ao cabelo do jovem.

Sobre o caso do Rio Vermelho, através das imagens é possível notar um batalhão se aproximando de uma garota que está sentada no chão. Em seguida, outra mulher fica na frente dos policiais, como se quisesse proteger a garota no chão.

A mulher não faz qualquer gesto, mas leva um tapa na cara de um policial e cai no chão em cima de cocos que estavam espalhados no chão.

Depois, a menina que estava sentada no chão levanta e várias mulheres se reúnem em um grupo, então um dos policiais diz: “Você está errada, a gente é polícia, respeite”. As meninas se abraçam e os policiais saem do local.

“O policial militar, ele vem da sociedade, ele sai desse meio. Às vezes, para se impor, ele usa da força, ele ultrapassa o limite da legalidade em alguma situação. Você vê que são fatos isolados. São jovens em formação. Nós formamos e formamos bem, nós formamos mais de 32 mil policiais militares. Esses policiais que usam desse tipo de argumento para se impor são exceção, ele não é a nossa regra. E o que nós fazemos com esses jovens, que são jovens também? Trazemos para o nosso seio, orientamos, reeducamos, mostramos a ele que não é um colete, não é uma arma que vai fazer dele ser diferente daquele semelhante não, e sim pela sua responsabilidade com o ser humano”, disse o comandante de Policiamento Especializado (CPE), coronel Humberto Sturaro, durante entrevista à TV Bahia sobre as duas agressões envolvendo policiais.

/Via G1.