Jodiane questiona decreto de austeridade em Madre de Deus: ‘Qual foi o contrato que diminuiu?’

Jodiene fez a indagação durante pronuncimento no plénario da Câmara de Vereadores.

'Isso não deveria estar na LOA?', questiona Jodiane sobre complemento do 'Travessia' em 2022 -Foto: Reprodução/Redes Sociais.

A vereadora Jodiane Alves (PTB) questionou na terça-feira (17) o decreto de austeridade adotado pela Prefeitura para redução de despesas em Madre de Deus.

Jodiene fez a indagação durante pronunciamento no plenário da Câmara de Vereadores. De acordo com a parlamentar, o prefeito Dailton Filho (PSB) assinou o decreto de reequilíbrio financeiro por entender que numa pandemia os contratos não podem ser altos.

Ela argumenta que o Executivo também suspendeu as gratificações, os 30% dos vigilantes e não pode dar nenhum benefício aos funcionários públicos por causa do decreto de austeridade.

A vereadora questionou qual o contrato diminuiu no munícipio: “Os enormes contratos estão aí, eu não vi diminuir nenhum!”

A petebista reforçou ainda que essa atitude pressiona os funcionários públicos para que deixem de pedir gratificações e seus direitos.

“A gente só percebi quando a gente está ali sentado na cadeira, que criticar é fácil, agora ter peito pra fazer é que eu quero ver”, disse.

Ela volta a interpelar o decreto de austeridade e direciona a pergunta para pessoas da área de contabilidade.

“Qual foi o contrato que diminuiu de acordo ao decreto de austeridade? A não ser o direito dos funcionários públicos que neste período está preso”, asseverou.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*