Câmara de Madre de Deus convoca secretários para prestar esclarecimentos sobre denuncia, contratos e serviços

Foram convocados os secretários de saúde, Markus Santil, de desenvolvimento econômico, Cesar Augusto, de desenvolvimento social, Robemacio Cerqueira, e de serviços públicos, Hélio Santana.

Câmara de Madre de Deus convoca 4 secretários para prestar esclarecimentos sobre denuncia, contratos e serviços-Foto reprodução redes sociais.

A Câmara Municipal de Madre de Deus aprovou nesta terça-feira (4) quatro requerimentos para que os secretários de saúde, Markus Santil, de desenvolvimento econômico, Cesar Augusto, de desenvolvimento social, Robemacio Cerqueira, e de serviços públicos, Hélio Santana, para que eles deem explicações aos parlamentares sobre denuncia, contratos e serviços. O pedido foi apresentado em bloco por seis vereadores e aprovado pelo Legislativo.

De acordo com o documento, o secretário de desenvolvimento social, Robemacio Cerqueira deverá prestar esclarecimentos sobre as cestas básicas, logística de distribuição dos alimentos e convênio entre o município e a empresa Braskem.

Já o secretário de saúde, Markus Santil, deverá esclarecer dúvidas  sobre o pagamento para pessoas que testaram positivo para Covid-19 no município, contratos celebrados no período da pandemia, recursos federais recebidos pela secretária de saúde e barreira sanitária.

O secretário de desenvolvimento econômico, Cesar Augusto, foi convocado pela Câmara para dar explicações aos vereadores sobre as rescisões, denúncias de irregularidades envolvendo a ex-servidora municipal, Michele Paz.

O secretário de serviços públicos, Hélio Santana, foi convocado pelos parlamentares para prestar esclarecimentos sobre o convênio entre o município e a empresa Braskem, contrato com a empresa Madre Mais e a obra dos galpões.

Ainda conforme o texto, a ausência injustificada dos secretários implica em crime de responsabilidade.

Durante a discussão, o vereador Marden Lessa (PSB) argumentou que Câmara precisa prestar esses esclarecimentos através  das convocações dos agentes políticos.

A parlamentar Jodiane Alves afirmou que iria votar contra ao primeiro requerimento por entender que existem secretários que estão no cargo há um mês ou 15 dias, e relata que isso não aconteceu na gestão anterior. Ela cita como exemplo, a contratação do secretário de desenvolvimento econômico, Cesar Augusto, que tem um curto período no comando da pasta.

O presidente da Câmara, vereador Paulinho de Nalva (Republicanos) esclareceu que os requerimentos  foram  para convocar os secretários da gestão atual.

Anselmo Duarte (PP) defendeu antes de votar contra, que a convocação deveria ser feita na próxima sessão, ao apontar que votação poderia está sendo contra ao que determina o regimento interno.

Marden reforça que a “administração pública não tem dono” e pertence ao povo da cidade e que todos os agentes que passaram pela gestão fizeram seu trabalho.

“Se a gestão anterior, que é a mesma gestão, só fez mudar a mão que assina a caneta, mas os funcionários são os mesmos.  É o mesmo grupo”, disse Lessa.

Ele acresenta que não existe isso de administração a, b ou c até porque a gestão é uma só: “o governo é o mesmo!”

“Tem um áudio circulando na cidade que o secretário de administração disse que vai fazer dinheiro. Como é que faz dinheiro?”, questiona Marden.

O vereador Juscelino Silva (SD) defendeu que os secretários precisam esclarecer as dúvidas sobre contratos de combate a Covid-19. Segundo ele, uma pessoa que trabalha na gestão diz que vai fazer dinheiro e denuncia: “Eu acredito senhor presidente que o dinheiro já tá chegado viu, porque não sai do banco, tá pagando na mão !”