Após Jilvan reclamar de críticas, Jodiane rebate: “Um dia a gente é pedra, no outro a gente é o telhado”

As declarações foram proferidas no plenário da Câmara de Madre de Deus na terça-feira (13).

Após Jilvan reclamar de críticas, Jodiane rebate: “Um dia a gente é pedra, no outro a gente é o telhado”- Foto: Reprodução redes sociais.

A vereadora Jodane Alves (PTB) rebateu as declarações do líder do governo na Câmara, vereador Jilvan Valadão (SD) que havia afirmado minutos antes que o prefeito Dailton Filho (PSB) tem apenas três meses  à frente do Executivo e já estão jogando pedra na administração municipal. Os pronunciamentos foram feitos no plenário da Casa de Leis na terça-feira (13).

Jilvan questionou se prefeito e o vice-prefeito Amilton Pereira (SD) são os únicos que tem telhado de vidro. Em outro momento, o edil destacou que existem problemas financeiros e dificuldades encontradas pela gestão.

Em seguida, o parlamentar pondera, prega união e agradece aos colegas pela aprovação do projeto que beneficiará os barraqueiros e ambulantes que realizam atividades na praia da cidade.

Logo depois, Jodiane refuta a fala de Jilvan ao afirmar que é preciso entender que “um dia a gente é pedra, no outro a gente é o telhado”.

“Ontem eu era o telhado e todo mundo criticou, todo mundo exigiu dentro de um mês que [o ex-prefeito] Jailton Santana [PTB] fizesse o impossível. Nenhum momento eu desrespeitei ninguém nesta Casa, muito pelo contrário, ficava calada escutando tudo. Porque eu entendida que eu era telhado”, diz a vereadora.

Ela completa apontando que os governistas agora são telhados e alerta: “Não venha tentar meter medo, tentar de forma simbólica criar um constrangimento para que as pessoas não falem a verdade”.

Jodiane explica que não se refere a faltar com respeito e reforça que os problemas devem continuar sendo pontuados.

Antes disso, a parlamentar pediu para o governo acrescentar no calendário de vacinação os portadores de necessidades especiais e transplantados.

“Você conseguir fazer um transplante, estar vivo e poder correr o risco de morrer de Covid. É realmente pra cabeça de um transplantado: muito ruim! Então assim, o que eu venho pedir,  é que o nosso município mesmo que na última das hipóteses Madre de Deus não consiga comprar [as vacinas contra o coronavírus]. Mas que eu veja que no meu munícipio houve a intensão”, diz a vereadora.

Ela aponta ainda que a cidade precisa assinar o protocolo de intenção junto ao consórcio para comprar as vacinas quando forem liberadas.

Veja o vídeo abaixo: