Manifestantes se reúnem na BA-523 para novo protesto por causa de buracos

Para passar pela área das "crateras", os motoristas podem demorar até mais de uma hora.

Manifestantes interditaram as duas pistas em um trecho na BA-523, entre as cidades de Madre de Deus e São Francisco do Conde, e Candeias na região metropolitana de Salvador,  na manhã desta quarta-feira (13), para protestar contra os buracos na rodovia.

Os problemas são semelhantes nos dois lados da pista, prejudicando quem circula nos dois sentidos. Para passar pela área das “crateras”, os motoristas podem demorar até mais de uma hora. Por causa da precariedade no piso, os engarrafamentos viraram rotina na região. Na segunda-feira, a prefeitura de Madre de Deus fez um serviço paliativo para minimizar o problema durante o aniversario da cidade.

Leia também:

+Buracos na BA-523 provocam engarrafamentos nesta sexta-feira: “Tá tudo travado”

+Segundo protesto contra buracos na BA-523 é marcado para dia 13 de junho e grupo promete fechar rodovia

+Após promessa, população ainda espera requalificação na BA-523; protesto é mantido

Os manifestantes reclamam que o trecho de aproximadamente 400 metros está intransitável por causa das “crateras” e dizem que já pediram o conserto ao Governo do Estado diversas vezes, e se queixam que essa é a terceira licitação, mas a obra ainda não começou.

O secretário de Infraestrutura da Bahia, Márcio Cavalcante, informou que o serviço iria começar em 30 dias, e teria previsão de termino em cerca de quatro meses. Ele afirmou ainda que houve um atraso no processo de licitação para fazer a contratação da obra pública.

O ato começou por volta de 6h30 e causa problemas ao trânsito, já que os manifestantes fizeram uma barreira humana para impedir os motoristas de transporte alternativo de passar. A via foi bloqueada.

Quatro viaturas da Polícia Militar foram acionadas.  As duas primeiras chegaram por volta das 4h50. Em um dos trechos, pneus foram queimados para dificultar a passagem. Segundo um manifestante, um dos policiais teria ameaçado o grupo, por conta disso, acabou conseguindo liberar a pista. O grupo acusa o Governo do Estado de usar a força policial para coibir o protesto. Os manifestantes permanecem no local.

Um congestionamento começou a se formar na região, mesmo com o grupo na lateral da rodovia,  em pequeno trecho com poucos buracos. O engarrafamento chega a quase um quilômetro. Os manifestantes utilizam um carro de som e dizem palavras de ordem. O transito esta voltando a normalidade gradativamente.O grupo começou a se dispersar por volta das 8h30.

Supermercado cunha