Vereador Val diz que irmão do prefeito comprou apartamento de R$ 1 milhão: ‘à vista’

O parlamentar ainda não apresentou provas das acusações contra o secretário.

Vereador Val Peças (PSL) (Foto: Reprodução Bahia Manchetes)

A declaração do vereador Val Peças (PSL)  na sessão de terça-feira (24) na Câmara Municipal gerou comentários nos bastidores da política em Madre de Deus, na região metropolitana de Salvador. O líder da oposição acusou o secretário de serviços públicos, Jacson Andrade de ter comprado um apartamento no valor de R$ 1 milhão à vista, sem ter recursos para tais operações.

“Tive a informação que o irmão do prefeito comprou à vista, um apartamento no valor de R$ 1 milhão de reais. Eu quero saber se antes de o irmão dele ser prefeito […] o que, que ele tinha?”, questionou o vereador.

Segundo Val, o secretário até poderia comprar um apartamento neste valor com o salário atual, mas enfatiza que ele não teria condição de comprar um imóvel de R$ 1 milhão à vista.

“Qual é a fonte de renda desse cidadão? R$ 1 milhão de reais… Que ele pode até comprar com esse salario um apartamento de R$ 1 milhão de reais, mas não à vista. De forma nenhuma, não tem condição nenhuma com salário dele comprar um apartamento à vista”. O parlamentar ressalta que é uma grave denúncia   e que vai apurar a informação para encaminhar ao Ministério Público. Em seguida, acusa o secretário Jacson de enriquecimento ilícito.

“Vamos apurar direitinho, pegar o endereço, e vamos denunciar ao Ministério Público: é enriquecimento ilícito mesmo!”, dispara o vereador.

 Veja o vídeo abaixo:

Apesar das declarações polêmicas, o parlamentar ainda não apresentou provas das acusações contra o secretário.

Ao Bahia Manchetes o vereador Val Peças afirmou que ainda não pode divulgar o endereço e o condomínio do apartamento que o secretário supostamente comprou. Ele enfatiza que teria recebido a informação de uma fonte segura, destacando que tem responsabilidade no que fala, ele ressalta que a oposição está investigando várias denúncias contra o prefeito Jeferson Andrade (DEM).

“Não adianta só denunciar na Câmara de Madre de Deus, precisamos colher as provas e encaminhar para o Ministério Público para que seja investigado”, ressaltou o vereador.

A reportagem tentou contato com o secretário municipal de serviços públicos, Jacson Andrade, através de ligações telefônicas e mensagens, mas não obteve resposta.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*