Secretário de segurança cidadã de Madre de Deus é demitido; Chefe de Gabinete assume interinamente

Durante o período que Osvaldo Pacheco esteve no comando da pasta, aconteceram alguns enfrentamentos políticos; Relembre.

Secretário de Segurança Cidadã, Osvaldo Pacheco (Foto: Reprodução)

O prefeito Jeferson Andrade exonerou, o secretário de Segurança Cidadã de Madre de Deus, Osvaldo Pacheco na última sexta-feira (29). A informação é da prefeitura. O chefe de Gabinete do poder Executivo, Eugênio Fagundes, assumiu o cargo de secretário interino.

As divergências entre o ex-secretário, e algumas lideranças políticas da base governista se tornaram públicas, após o presidente da Câmara, o vereador Marden Lessa (PC do B) fazer duras críticas a Pacheco durante um programa na rádio comunitária da cidade   no dia 9 de agosto de 2017. Segundo ele, o secretário estaria maltratando os munícipes e transformando a ‘secretaria em um quartel’.  O presidente declarou que ‘não se sentia a vontade para votar projetos do governo enquanto existir relação com esse rapaz [Osvaldo Pacheco’. Ele ainda definiu Pacheco como “um secretário que quer transformar uma secretaria em um quartel da polícia militar”. “[…]esse rapaz precisa sair para dar lugar a quem quer trabalhar”.

Ouça o áudio abaixo com as declarações do presidente da Câmara: 

Leia Também:

Vereador e vice-prefeito alfinetam secretario de segurança cidadã durante retorno do 24 horas em Madre de Deus

Em sessão itinerante no bairro do Suape no dia 15 de agosto, Marden acusou o então secretário de ‘destratar’ o chefe de gabinete, Eugénio Fagundes e o assessor técnico do município, Adelmo Bispo. Ironicamente, Eugênio acabou assumindo a pasta após a demissão de Pacheco.

A Câmara chegou a aprovar uma moção de repudio para Osvaldo Pacheco.

A moção, foi proposta pelo vereador Juscelino Silva (PPS) que pediu respeito aos munícipes.

“[…] Ele é coronel lá, aqui ele é um secretário como todos os outros. Então ele não venha para Madre de Deus querer mandar, exigir dos filhos de Madre de Deus de uma maneira ignorante, sem educação (Sic) […] Queremos respeito desse secretário”, argumentou Juscelino antes de pedir a moção de repúdio.

Dos 8 vereadores que participaram da sessão itinerante, 5 votaram a favor da moção de repúdio e 2 foram contra. Apesar de não votar, Merden afirmou que o seu voto seria a favor da moção de repúdio.

Bahia Manchetes tentou o contato com o ex-secretário pelo telefone celular, mas não obteve retorno.