Mãe diz que médico negou atendimento a filho com febre em hospital de Madre de Deus

No post compartilhado na web, a mãe da criança conta que o médico teria dito para ela "calar a boca".

Mãe diz que médico negou atendimento a filho com febre em hospital de Madre de Deus -Foto: Bahia Manchetes.

Uma moradora de Madre de Deus usou uma rede social para denunciar que procurou atendimento na terça-feira (14) para o filho de 10 anos no Hospital Municipal Doutor Eduardo Ribeiro Bahiana.

Segundo ela, ao chegar na unidade às 21h27, a criança que estava com febre foi encaminhado para o Centro de Referência de Síndromes Respiratorias , depois de passar pela triagem, o médico plantonista teria aumentado a voz e maltratado a mãe do garoto.

No post compartilhado na web, a mãe da criança conta que o médico teria dito para ela “calar a boca”, quando estava justificando que outro profissional de saúde havia receitado um remédio que provocou reação alergica no paciente.

“Ele não gostou [e] disse que febre se cuida em casa, sendo que meu filho já tinha 3 dias de febre indo e vindo do hospital. Saí de lá da sala da covid sem atendimento, ele [o médico] negou o atendimento pra meu filho, saiu da sala me gritando”, escreveu.

A mãe questiona ainda como é possivél uma pessoa estaudar para ser médico  e negar atendimento para uma criança.

No texto ela desabafa: “Uma pessoa dessa não tem amor próprio, piorou amor pela sua profissão, se não quer trabalhar dá lugar pra quem queira, se ta com algum problema deixa na porta de casa, vc tá ali pra salvar vidas e não negar socorro”.

Ela afirma que o filho estava com 39 graus de febre e reforça que foi até a unidade de saúde porque a criança precisava do atendimento. Ainda conforme a moradora, o filho dela recebeu atendimento de outro profissional que conseguiu diagnistar o probolema de saúde e agradeceu ao médico.

O Bahia Manchetes entrou em contato com o diretor médic, Dr. Lucas Rodrigues,  e com coordenador médico, Dr. Eduardo Marinho que grantiram que nesta quarta-feira (14) serão tomadas providências sobre o caso.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*