Empresa que administra hospital demite funcionária de atestado por mensagem no WhatsApp: ‘Boa sorte’

A funcionária foi informada sobre a demissão na noite desta segunda-feira (21), segundo o post do marido compartilhado na web.

Hospital de Madre de Deus suspende visitas após aumento nos casos de Covid-19 -Foto: Bahia Manchetes.

Um morador usou uma rede social para compartilhar que empresa que administra Hospital Dr. Eduardo Ribeiro, em Madre de Deus demitiu a sua esposa que está de atestado médico por mensagem no Whatsapp.

No post, o internauta definiu o posicionamento da empresa como “uma falta de respeito” com uma profissional que tem bons serviços prestados a comunidade.

Ele destaca que a esposa começou a trabalhar na unidade durante a gestão da ex-prefeita Carmen Gandarela (In Memoriam).

“Pasmem meus amigos, até entendemos a demissão, porém segundo a CLT nenhum funcionário pode ser demitido estando de atestado médico, mas a maldade é tamanha que nem avaliaram isso”, escreveu.

Segundo ele, a esposa foi informada sobre a demissão na noite desta segunda-feira (21). Na publicação, o morador compartilhou a mensagem da empresa na web.

No texto a empresa refere-se a ex-funcionária como “candidato”, em seguida, agradece o empenho e dedicação neste período. Depois, justifica que a demissão da colaboradora é para “otimização” e “redução de custo”.

“Desejamos boa sorte na sua nova jornada”, diz um trecho da mensagem enviada a ex-funcionária. (Veja a mensagem abaixo)

No texto a empresa refere-se a ex-funcionária como “candidato”.

No post, o internauta que trabalhava na prefeitura afirmou ainda que recebeu uma ligação do Recursos Humanos solicitando a presença dele.

Ele acrescenta que ao chegar no setor foi informado que o prefeito Jailton Santana determinou a exoneração dele.

“Mas como vocês podem ver na foto abaixo, que no mesmo dia, eu solicitei o meu desligamento, ou seja, a notícia do interino era notícia velha”, ironizou o ex-funcionário.

Cerca de 20 funcionários que trabalham no Centro de Referência de Síndromes Respiratórias no Hospital Municipal Dr. Eduardo Ribeiro Bahiana paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira (21). Eles relataram que estão sem receber os salários há dois meses.

Uma das funcionárias classificou a situação como uma “vergonha” para o município ter que paralisar as atividades porque estão há dois meses sem receber salários.

“O prefeito da cidade disse que ele já tá fodido! É obrigado a gente se foder  junto com ele? Se a gente trabalhou porque a gente tem direito”, questionou a colaboradora para uma claque de colegas de trabalho.

Um ex-funcionário disse ao Bahia Manchetes que teria sido demitido após participar de uma manifestação na unidade na semana passada.

Funcionários terceirizados também relatam precariedade nos serviços do Hospital Municipal. A reportagem não conseguiu falar com a empresa responsável pela unidade de saúde, mas o espaço está aberto para manifestações.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*