Empresa cria máquina para pagamento de dízimo no credito, e no debito: ‘Dízimofiel’

Empresa de Dois Vizinhos lançou o sistema em maio deste ano e já tem clientes em 12 estados.

Máquina promete facilitar pagamento de dizimo (Foto: Divulgação)

Três amigos de uma cidade no sudoeste do Paraná lançaram em maio deste ano um sistema que promete facilitar a cobrança do dízimo em igrejas por todo o país. O Dízimo Fiel permite que o pagamento da ajuda de manutenção das paróquias seja feito com cartões de débito e crédito.

De acordo com um dos fundadores da DízimoFiel,   Marcos Nonemacher, a ideia surgiu há cerca de dois anos, quando eles trabalharam ajudando uma paróquia em Dois Vizinhos, cidade onde moram. Durante uma quermesse, eles perceberam que havia dificuldades para controlar o dinheiro que entrava e saía e também a emissão de comprovantes de pagamento para os frequentadores da festa.

Sistema já foi apresentado para vários sacerdotes no país, incluindo o Padre Antônio Maria (Foto: Divulgação)

Os amigos, então, passaram a desenvolver o projeto não só para a paróquia que frequentavam, mas também para outras igrejas. Segundo Nonemacher, o processo é mais seguro, pois os pagamentos caem direto nas contas bancárias das instituições, sem intermediários. “Antes, no processo manual, o dinheiro passava por várias mãos. Ficava a dúvida se chegava de fato à igreja”, diz.

O sistema funciona de forma simples. As igrejas recebem uma máquina para fazerem as transações com cartões de crédito e débito. A empresa também fornece também um sistema para identificar quem fez os pagamentos e gerenciar a entrada e saída do dinheiro dos fieis.

Ele  explica ainda que o DízimoFiel é pago mensalmente, como prestação de serviço de tecnologia e gestão, e que não incide nenhuma taxa sobre os dízimos pagos. “Nós ganhamos pelo serviço prestado e com o direito de utilização do software, como qualquer outra empresa de serviços de tecnologia. Nós não cobramos taxas sobre os valores recebidos, as taxas são cobradas apenas pelas empresas de cartão de crédito e débito”, explica. Segundo a empresa, o DízimoFiel já está presente em igrejas de 12 Estados, a maioria católica.

Ao ter mais visibilidade nas redes sociais, Marcos conta que recebeu muitas críticas. “A gente observou muitos comentários de pessoas que não conhecem a dinâmica do dízimo, principalmente para as igrejas sérias. Não se trata de enganar ninguém, trapacear ou conduzir a pessoa a fazer uma doação além de suas possibilidades. Em um País que a gente vive uma crise de ética, de confiabilidade, a nossa solução trabalha justamente essa questão da confiança, segurança, rastreabilidade. É justamente o contrário, não é vender pedacinho no céu, nada disso. Somos da área da tecnologia, estamos acompanhando as evoluções do mundo e uma delas é a diminuição do uso do papel moeda e dentro das igrejas também temos que ter essa evolução”, finaliza.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*