Val diz que Nilton “era fantasma”, mas que ‘agora participa até de aniversário de boneca em Madre de Deus’

Para o vereador, a intenção de Nilton é se candidatar a prefeito do município, e ressalta às visitas do deputado como estratégia política.

(Foto:Nilton Bastos arquivo pessoal/ reprodução Facebook)

Sem citar nomes, o vereador Val Peças (PSL) criticou na terça-feira (12) o recém-eleito deputado estatual, Nilton Bastos (PP) durante a sessão na Câmara de Madre de Deus. Segundo ele,  Nilton no período que foi secretário de governo era “fantasma”.

“O secretário de governo [Janatan Silva] está aqui, porque o outro secretário que antecedeu o atual era ausente demais, mas agora ele está deputado eleito, até em aniversário de boneca está participando em Madre de Deus”, ironizou.

Essa não é a primeira vez que Val chama Nilton de “fantasma”, no ano passado, o parlamentar chegou a afirmar que Bastos ‘não estava nem ai para secretaria de governo’. (Relembre)  

Para o vereador, a intenção de Nilton é se candidatar a prefeito do município, e ressalta às visitas do deputado como estratégia política para capitalizar votos.

“Pasmem os senhores vereadores de Madre  de Deus, se querem o melhor para Madre de Deus, cuidado! Cada um tem o direito de sair candidato ou não, mas antes de ele ser eleito, ele era secretário de governo, era fantasma, não participava, agora está em tudo em Madre de Deus. Observem isso”, dispara.

Ainda Conforme Val, Nilton será o pré-candidato à prefeito indicado por Jeferson:  “pode ter certeza disso!”.

Nos Bastidores

As articulações ganham força nos bastidores, e alguns nomes começam a ser ventilados para disputar a prefeitura, alguns são vistos somente como “balões de ensaio” para testar a viabilidade eleitoral, outros camuflam a pré-campanha para evitar o embate antecipado.

Apesar do distanciamento político, como chefe do Executivo e com a maioria no Legislativo, o prefeito Jeferson Andrade (DEM) ,por ora, têm autoridade para definir pauta de votações e alinhar o discurso na Casa para rebater às criticas de opositores. Longe dos holofotes, aliados apontam ainda que não existe um consenso sobre o nome do candidato da base.

O gestor não toca no assunto para não atrapalhar o andamento do governo, a intenção é evitar uma reação em cadeia que leve a um possível desembarque de aliados. O vereador Marden Lessa (PC do B) foi o único na base que declarou ser pré-candidato à prefeito oficialmente. Correndo por fora, sem assumir à pré-candidatura, Nilton é apontado como preferência velada de Jeferson.

Com o desagaste político do atual gestor, embalar um nome de sucessão é crucial para fortalecer o grupo político que mantém a hegemonia do poder por três eleições seguidas.

Por outro lado, Dailton Filho, aparece como o candidato mais forte da oposição, mas que ainda não alinhou o discurso com antigos aliados na Câmara. Os vereadores Kikito Tourinho (PPS), Juscelino Silva (PPS) e Val Peças (PSL)  intensificaram às denúncias e criticas ao prefeito. A estratégia dos opositores é pressionar a bancada governista com apoio da população para afastar o gestor do cargo.

No centro do tabuleiro, o nome do vice-prefeito Jailton Polícia (PRB), é ventilado como pré-candidato à prefeito. Com um bom trânsito em duas diferentes correntes na Câmara, ele conseguiu ampliar o alinhamento com os vereadores de oposição durante a disputa interna que elegeu o presidente do poder Legislativo, vereador Paulinho de Nalva (PRB).

Apesar de a bancada oposicionista na Casa não apontar um nome: magoas, divergências, alfinetadas e isolamento podem ter deixado fissuras na relação entre antigos aliados de oposição. Além disso, o processo contra Jeferson pode reconfigurar o cenário e desequilibrar a disputa pela prefeitura no município.