Marden rebate André e diz que “o erro” na limpeza urbana foi de Jailton: ‘Estão esquecidos?’

Parlamentar afirma que a responsabilidade na empresa de limpeza urbana foi do prefeito Jailton que ele chama de "substituto". 

Marden diz que Dailton se acostumou tanto em ser candidato que não percebeu que é o prefeito da cidade -Foto Reprodução Facebook.

O vereador de Madre de Deus, Marden Lessa (PSB) rebateu na terça-feira (2) o discurso do parlamentar André da Limpeza (PSD) que afirmou que o prefeito Dailton Filho (PSB) se perdeu na escolha de pessoas que não eram capacitadas para transição da limpeza urbana no município.

“Então vereador [André] o erro foi da gestão que vossa excelência apoiava, com toda perversidade do mundo, o prefeito substituto fez um aditivo de três meses com [a empresa] CM, pra deixar esses rapazes que estão aí fichados, a ver navios”, disse no plenário.

Minutos antes, Marden havia argumentado que quando participava do governo do então prefeito Jailton Santana (PTB), ele e o ex-vereador Juscelino Silva (SD) foram empurrados para oposição porque não quiseram aceitar uma emeda de 80% na Lei Orçamentária Anual (LOA).

“Foram demitidos 8 pais de família que recebem um salário mínimo naquela empresa de limpeza, ali está um: Edvan Miranda, foi demitido, o sobrinho do vereador Paulinho também foi demitido, menino trabalhador que trabalha de domingo a domingo”, disse.

Em outro momento, o parlamentar afirma que a responsabilidade na empresa de limpeza urbana foi do prefeito Jailton que ele chama de “substituto”.

Ele reforça que mesmo perdendo a eleição o ex-prefeito teria feito um aditivo de três meses com a antiga empresa, depois afirma que Jailton anulou os processos contratuais deixando uma dívida no orçamento de R$ 15 milhões.

“Então eu quero saber de vossas excelências, se vossas excelências estão esquecidos?”, questiona o vereador.

Ele ressalta ainda que sabe que são pessoas que recebem salário mínimo e destaca que também existem pessoas que votaram com o atual governo e que precisam trabalhar.

“Até porque senhoras e senhores, a política, ela feita de escolha e as escolhas tem todas as suas consequências. Quando eu, lá em abril, larguei as benesses do governo, mais de 100 indicações no governo de Jeferson Andrade, foi para romper com esse sistema corrupto e inoperante que muitos de vossas excelências apoiaram”, dispara.

Ele aponta ainda que se o governo de Dailton Filho errou em nomear quem não tinha expertise, pecou mais ainda o ex-prefeito por ser maldoso ao fazer um aditivo para engessar a administração municipal.

“E aí senhoras e senhores, nós precisamos ter a coragem e acima de tudo a hombridade de chegar aqui e dizer: ‘quem errou foi a gente, fomos nós que fizemos uma escolha errada, que escolhemos, apoiarmos um governo inoperante e incompetente’. É preciso ter coragem”, diz.

Ele completa afirmando que quando o grupo de Dailton e a gestão errar vão ter coragem de pedir desculpas. “Até porque eu digo isso sempre: não existe governo 100% correto. E a oposição está aí pra isso, nos apontar os erros”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*