Sob vaias, vereadores da base rejeitam investigação contra prefeito Jeferson

Votos contrários ganharam por 5 a 4. Com o resultado, o pedido foi arquivado nesta terça-feira (3).

Sob vaias, vereadores da base rejeitam investigação contra Jeferson- Foto Reprodução internet

Sob vaias de parte do público presente, os vereadores da base governista de Madre de Deus, rejeitaram nesta terça-feira (3), a criação de uma Comissão Processante para investigar o prefeito Jeferson Andrade (DEM).

A solicitação foi rejeitada por 5 votos a 4, houve uma abstenção e o presidente da Casa, vereador Paulinho de Nalva (PRB), só poderia votar, em caso de empate. A sessão contou com a presença dos 11 parlamentares. A única abstenção foi do parlamentar Lidivaldo Bonfim (PCdoB). Era necessária maioria absoluta para aprovar o pedido de abertura de uma Comissão Processante.

Apesar do clima de tensão, o poder Executivo não enviou um interlocutor. O pedido de investigação foi protocolado no Legislativo pelo morador Hélio Santana na segunda-feira (2), que questionou a decisão judicial que determina que a prefeitura pague pouco mais de R$ 4 milhões para uma empresa que alega que o município utilizou a marca Madre Verão sem autorização.

Vereadores na sessão desta terça-feira.

Na discussão, os vereadores da base, Anselmo Duarte (DEM), Pastor Melk (PRB) e Cláudia Copque (PSB) defenderam que a prefeitura foi sentenciada pela justiça, e que, não cabe a Câmara questionar.

 “Diante do fato de já está com um processo que foi tramitado, julgado e sentenciado e homologado. Eu não tenho condições, aí eu falo de mim. Eu não tenho condições como simples vereador que sou, e nem informação direito tenho. Teve até a dificuldade de entender por isso recorri a quem pode me dar essa impressão e esse entendimento, pra que eu tivesse a minha tranquilidade na minha votação aqui”, disse Melk antes de votar contra a investigação.

Os parlamentares de oposição, Jodiane Alves (PRB), Val Peças (PSL), Kikito Tourinho (PPS) e Juscelino Silva (PPS), argumentaram que se tratava de um o pedido de investigação, não de afastamento. Eles lamentaram o posicionamento da base governista.

“Quantas vezes às denúncias vem pra aqui e as coisas é travada, não passa. E aí eu pergunto, se é um prefeito inocente, como muitos dizem: ‘que não deve não teme’. Porque não faz uma investigação para poder ver o que está acontecendo?”, questiona Kikito.

O vereador Lidivaldo responsabilizou o juiz pela decisão, em seguida, afirmou que ninguém mandava nele, se absteve do voto, mas deixou claro que o caso poderia ser investigado.

Resultado da votação

Para investigar o prefeito:

A favor da abertura da Comissão Processante: Jodiane Alves (PRB), Val Peças (PSL), Kikito Tourinho (PPS) e Juscelino Silva (PPS).

Contra a comissão: Anselmo Duarte (DEM), Pastor Melk (PRB), Cláudia Copque (PSB), Joyce Lima (PRB) e Renato de Martins (PSD).

Com o resultado, o pedido foi arquivado.