Sem refeitório alunos de escola pública lancham sentados no chão em Porto Seguro

Estudantes reclamam ainda da qualidade da merenda escolar e da falta de ventiladores nas salas de aula.

Colégio Estadual Cristina Batista, em Porto Seguro (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)

Alunos do Colégio Estadual Cristina Batista, na cidade de Porto Seguro, no sul da Bahia, são obrigados a sentar no chão dos corredores da unidade de ensino para poder lanchar, porque a instituição não possui refeitório e as salas de aula ficam trancadas durante o intervalo.

Um vídeo gravado pelos estudantes mostra a situação na unidade de ensino. Nas imagens, é possível ver os alunos sentados ao lado das portas das salas de aula, e até de cestas de lixo, com pratos na mão. O vídeo mostra ainda que alguns estudantes chegam a comer em pé, encostados nas paredes.

“A gente não tem refeitório na escola . Tem duas mesas e duas cadeiras para os alunos [lancharem]. A gente tem quantos alunos de manhã? Trezentos alunos. A gente lancha no chão. Isso é uma coisa horrível, porque a calça fica toda suja ou a gente pode pegar alguma coisa [doença] no chão”, contou a estudante Janine Carvalho.

De acordo os alunos, as salas de aula são fechadas para evitar roubos de pertences e sujeira. “Eu acho muito ruim, porque, por exemplo, nas salas têm as cadeiras, que você pode sentar, mas eu acho que, também, por um lado, é bom, porque tem muitos alunos que acabam deixando o resto do alimento, sujando. Então, é bom manter fechado. Mas seria bom ter mesa suficiente para a gente poder lanchar de forma devida”, disse a estudante Emily Santana.

Além do problema com o refeitório, os estudantes denunciam ainda que a qualidade da merenda escolar é ruim. De acordo com os alunos, apenas suco com biscoito ou mingau são servidos diariamente pela instituição.

Alguns estudantes reclamam também da falta de ventiladores nas salas de aula. Em algumas, há aparelhos de ar condicionado que não funcionam, segundo os alunos. Um vídeo mostra a precariedade das salas.

“No início do ano, na minha sala só havia um ventilador. Aí, teve que retirar de outra sala para por na nossa, porque tinha muito aluno passando mal. Agora, a sala que tirou o ventilador está com apenas um ventilador prestando, porque o outro queimou”, contou a estudante Lorraine Moura.

Em nota, a Secretaria de Educação do Estado da Bahia informou que o governo está esperando o processo de regularização da propriedade do imóvel onde funciona a escola para realizar uma obra de ampliação no local.

Ainda no comunicado, a pasta informou que está orientando a direção da escola sobre os procedimentos para a aquisição de móveis e eletrodomésticos, o que inclui os ventiladores para as salas de aula.

Em relação a merenda escolar, a secretaria informou que vai verificar com a direção do colégio, já que tem um cardápio a ser seguido. Ainda de acordo com a nota, o estado repassa o dinheiro para as escolas comprarem as merendas oferecidas nas unidades. Com informações do G1.