Queda de avião em Cuba mata mais de 100 pessoas, diz mídia estatal

Os destroços estavam espalhados pela área, e ambulâncias e carros de bombeiros estavam no local, informou uma testemunha.

© REUTERS/Alexandre Meneghini Bombeiro trabalha em local de queda de Boeing 737 na região cubana de Boyeros

Mais de 100 pessoas morreram na queda de um avião de passageiros Boeing 737 em Cuba nesta sexta-feira, informou a emissora local CubaTV.

Havia ao menos três sobreviventes, gravemente feridos, entre os 114 passageiros e tripulação, disse o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel.

A aeronave, que estava em voo doméstico para Holguín, no leste de Cuba, caiu pouco tempo após decolar de Havana, reportou a imprensa estatal. Havia 105 passageiros, incluindo cinco crianças.

O fogo do acidente foi apagado e autoridades estavam identificando corpos, disse o presidente Díaz-Canel, acrescentando que autoridades estavam investigando a causa do acidente.

Os destroços estavam espalhados pela área, e ambulâncias e carros de bombeiros estavam no local, informou uma testemunha a Reuters. O fogo já havia sido apagado e partes escurecidas da fuselagem podiam ser vistas.

“Ouvimos uma explosão e então vimos uma grande nuvem de fumaça preta subir”, disse Gilberto Menéndez, dono de um restaurante perto do local do acidente na área agrícola de Boyeros, 20 quilômetros de Havana.

O voo era arrendado pela companhia aérea Cubana de uma pequena companhia mexicana chamada Damohj ou Global, disse a mídia estatal cuabana. Holguín tem algumas das praias mais primitivas do país e atrai muitos turistas.

A Cubana não quis comentar. Um representante da Damojh no México disse: “estamos reunindo o que podemos para dar a informação correta”.

A nacionalidade dos passageiros do voo não estava clara ainda. A mídia estatal disse que os comissários eram estrangeiros, mas não deu mais detalhes.

Sites de rastreamento de voos indicaram que o voo era o CU972, tendo partido de Havana às 11h locais.

Supermercado cunha