Putin e Trump se reunirão no dia 16 de julho em Helsinque, na Finlândia

Decisão de realizar essa cúpula em um 3º país já tinha sido divulgada na quarta-feira (27), porém o local do encontro ainda não havia sido definido.

Vladimir Putin e Donald Trump conversam durante a Apec (Cooperação Econômica Ásia-Pacífico), em Danang, Vietnã, no sábado (11) (Foto: Jorge Silva/Reuters)

O encontro dos presidentes da Rússia, Vladimir Putin, dos Estados Unidos, Donald Trump, será no dia 16 de julho em Helsinque, na Finlândia. A informação foi confirmada nesta manhã de quinta-feira (28) pela Casa Branca e pelo Kremlin.

O Kremlin afirmou que os dois líderes discutirão o estado atual das relações entre os dois países e as perspectivas para o futuro, assim como questões internacionais.

A decisão de realizar essa cúpula já tinha sido divulgada na quarta-feira (27), porém o local do encontro ainda não havia sido definido.

John Bolton, assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, disse que os líderes acreditam que a cúpula irá melhorar a relação entre os dois países. Bolton afirmou que a suposta interferência da Rússia nas últimas eleições presidenciais americanas estará entre os assuntos discutidos e não descartou a possibilidade de que os líderes abordem a possível volta da Rússia ao grupo do G7, como defendeu Trump no início do mês.

Assessor americano em Moscou
Bolton se reuniu com autoridades russas em Moscou nesta quarta antes de se encontrar com o presidente Vladimir Putin, como parte dos esforços para preparar o terreno para a cúpula.

A agência de notícias russa Tass relatou que Bolton debateu uma possível cooperação entre os Conselhos de Segurança dos dois países com Yuri Averyanov, primeiro-vice-secretário do Conselho de Segurança da Rússia.

Mais tarde Bolton, que ainda em 2017 acusou Putin no jornal britânico “Daily Telegraph” de “mentir graças ao melhor treinamento do KGB”, iniciou conversas com o ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, antes de sua reunião planejada com Putin.

Em março, Trump parabenizou Putin por telefone por sua reeleição com grande vantagem, e disse que os dois se encontrarão em breve, mas desde então os russos se queixam da dificuldade de agendar um encontro.