Homem é detido pela PF em operação contra tráfico em condomínio de luxo de Salvador

Suspeito teve o apartamento onde mora, localizado na Avenida Paralela, revistado por policiais federais, que cumpriram mandado de busca e apreensão.

Homem é detido pela PF em operação contra tráfico em condomínio de luxo de Salvador -— Foto: Cid Vaz/TV Bahia

Um homem foi detido em um condomínio de luxo de Salvador no início da manhã desta quarta-feira (6), durante a operação “Guayo 2”, deflagrada pela Polícia Federal contra o trafico internacional de drogas.

O suspeito, que não teve o nome divulgado, teve o apartamento onde mora, localizado na Avenida Paralela, revistado por policiais federais, que também cumpriram mandado de busca e apreensão. A ação ocorreu por volta das 6h.

Após a ação, o homem e o material apreendido foram levados para a sede da Polícia Federal na Bahia, localizado em Água de Meninos, no Centro de Salvador.

A operação ocorre simultaneamente na Bahia e em São Paulo. Até por volta das 9h, havia registro de 8 mandados de busca e apreensão e 9 mandados de prisão temporária cumpridos. A Polícia Federal não detalhou quantos mandados foram cumpridos na Bahia.

De acordo com a PF, os alvos são, em sua maioria, imigrantes da Tanzânia, na África, que vivem no Brasil e enviavam cocaína ao exterior pelo aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

A estimativa é de que a quadrilha movimentou 820 kg de drogas no Aeroporto Internacional de São Paulo. A maior parte das drogas era enviada para a África.

Durante as investigações, 15 pessoas, chamadas de “mulas” por transportarem as drogas, foram presas. A ação desta quarta é desdobramento de outra operação deflagrada em agosto pela polícia.

De acordo com a PF, os traficantes evitavam embarcar direto em Cumbica. Eles vinham de outras cidades do país e faziam conexão doméstica pra driblar o check-in do aeroporto de Cumbica, que costuma ser mais rigoroso na fiscalização e tem mais experiência em flagrar traficantes internacionais.

Os envolvidos responderão pelos crimes de tráfico internacional de drogas e organização criminosa e serão conduzidos ao presídio estadual onde permanecerão à disposição da Justiça.

Ainda conforme a PF, o nome da operação foi dado em razão do rio de mesmo nome, que corta a cidade onde se encontravam os principais alvos da operação.

/Via G1