Terceiro suspeito de envolvimento na morte de garota em Feira de Santana é solto

Homem cumpria mandado de prisão temporária, mas prazo de um mês venceu. Os outros dois suspeitos foram liberados no final do mês passado.

Corpo de estudante de 16 anos é encontrado (Foto: Divulgação)

Mais um suspeito da morte da adolescente Bruna Santana Mendes, de 16 anos, foi solto na tarde desta quinta-feira (3), na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, segundo informações da Polícia Civil.

Everton Rosa de Oliveira, de 24 anos, estava no Complexo Policial do município desde o 3 de abril, após se entregar à polícia. O suspeito foi liberado porque o mandado de prisão temporária decretado pela Justiça venceu nesta quinta, após 30 dias.

Além dele, outros dois homens tinham sido presos por suspeita no envolvimento no crime, mas foram soltos no dia 25 de abril, também por conta do vencimento de mandado de prisão. Deivison Jorge dos Santos e Éric Pereira Maciel estavam detidos temporariamente desde o dia 23 de fevereiro.

Bruna Santana desapareceu no dia 18 de fevereiro, após ir a um encontro, em um shopping, e só foi achada dois dias depois, no dia 21 de fevereiro. O corpo estava dentro de um saco. Dois meses após o crime, o caso ainda é investigado pela Polícia.

Caso

Bruna morava na cidade de Serra Preta, mas foi para casa de parentes, em Feira de Santana, para realizar exames médicos e tirar alguns documentos pessoais. Ela desapareceu no dia 18 de fevereiro, enquanto voltava para a casa do primo após um encontro com um jovem também de 16 anos em um shopping da cidade.

Uma prima ficou de buscá-la no empreendimento ao final do encontro. Como o telefone da jovem estava quebrado, as duas terminaram se desencontrando no estabelecimento comercial, e Bruna pegou um mototaxista para retornar até o bairro Jardim Cruzeiro. Depois de descer no ponto, ela acabou desaparecendo, segundo a polícia.

A garota foi encontrada morta em uma localidade conhecida como Anel de Contorno, que fica nas proximidades da casa para onde ela iria. Ela vestia apenas uma calcinha e tênis – o que levou os investigadores a suspeitarem do abuso sexual.

Conforme a polícia, uma autópsia feita no corpo da vítima apontou que ela morreu depois de ter sido esganada. A polícia ainda apura a hipótese de a vítima ainda ter sido estuprada.

Supermercado cunha