Surfista brasileiro cogita processar Universal após ter sua imagem utilizada em Jurassic World

O blockbuster hollywoodiano usa em seu corte final uma sequência que mostra o atleta dropando em Jaws, na ilha de Maui, no Havaí.

Surfista brasileiro cogita processar Universal após ter sua imagem utilizada em Jurassic World

Há um brasileiro não creditado em cena em Jurassic World: Reino Ameaçado, que chegou aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (21). Trata-se do surfista de ondas gigantes Felipe Cesarano, também conhecido pelo apelido de “Gordo”. O blockbuster hollywoodiano usa em seu corte final uma sequência que mostra o atleta dropando em Jaws, na ilha de Maui, no Havaí, em 2016. Digitalmente, foi inserido um dinossauro se aproximando do atleta. A tomada foi até exibida em alguns dos trailers do filme (e aparece na marca de 1m53s do vídeo no topo desta notícia). O grande problema foi que Cesarano nunca foi consultado à respeito disso.

“Achei maneiro, mas antiprofissional”, definiu o surfista em entrevista para o GloboEsporte.com. “Fiquei meio surpreso. Vi o trailer e eu estava lá. Aí vi no Instagram, estavam usando minha onda. A única onda surfada do filme sou eu, sem autorização. Fiquei meio chateado. Não é nem a questão de dinheiro, mas se o mundo sabe se sou eu ali minha carreira poderia levantar. A imagem aparece eu não ganhei nada”, argumentou.

Cesarano contou também que sonda a possibilidade de processar a Universal Pictires, produtora do longa-metragem estrelado por Chris Pratt e Bryce Dallas Howard. “Já estou falando com alguns advogados amigos meus que estão me aconselhando entrar com uma ação lá fora [nos Estados Unidos]”, contou. Na entrevista, o “Gordo” pareceu demonstrar sentimentos ambivalentes sobre sua imagem ter sido usada pelo diretor Juan Antonio Bayona na sequência de Jurassic World – Mundo dos Dinossauros. “Eu não acho justo. A gente já vive uma situação difícil, arrisco minha vida ali, é uma questão de risco de vida, meu trabalho. Mas de qualquer forma foi engraçado e até satisfatório estar no cinema e ver a onda, que já é grande, ainda mais em 3D”, disse.

Jurassic World: Reino Ameaçado já arrecadou US$ 450 milhões nas bilheterias mundiais antes mesmo de estrear nos Estados Unidos (o que acontece nesta sexta-feira, dia 22 de junho). No Brasil, o longa-metragem está em cartaz em mais de 1,5 mil salas. Com informações de Adorocinema.

Supermercado cunha