Presidente da Turquia anuncia proibição do Uber: “Ninguém pode pisar no direito dos nossos taxistas”

O governo determinou a suspensão das carteiras de motoristas de pessoas que trabalham para aplicativos como o Uber.

(Foto Reprodução /Internet)

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou na noite da última sexta-feira que o Uber “acabou” no país. O anúncio ocorre em meio à pressão de taxistas, que acusam o aplicativo de concorrência ilegal.

“Apareceu uma coisa chamada Uber ou algo assim. Isso acabou. Já não existe”, disse Erdogan durante um jantar que contou com a presença de representantes do sindicato de motoristas de ônibus de Istambul.

“De onde isso saiu? Há na Europa, mas aqui nós decidimos. Temos um sistema de táxis. O Ministério do Interior deu as instruções. Se eles se meterem no nosso trânsito, faremos o necessário. Ninguém pode pisar no direito dos nossos taxistas”, afirmou o presidente.

No dia  29 de maio, o governo aprovou uma lei que praticamente inviabiliza as operações do aplicativo no país. Ela determina a suspensão das carteiras de motoristas de pessoas que trabalham para aplicativos como o Uber. Pela lei, a primeira infração será punida com multa. Caso seja pego pela segunda vez, o motorista pode ter a carteira suspensa por dois anos.

Nos últimos meses, sindicatos de taxistas organizaram vários protestos contra o Uber, criticando a empresa por promover concorrência desleal. Em Istambul, a polícia registrou várias agressões de taxistas contra motoristas do aplicativo.

O Uber começou a operar em Istambul em 2014. A principal cidade da Turquia conta com 17,4 mil taxis credenciados. No entanto, a notória má qualidade do serviço vinha abrindo caminho para aplicativos como o Uber. Além de Istambul, o Uber opera em cidades turísticas como Bodrum e Cesme.

Segundo o Uber, pelo menos 2.000 motoristas utilizam o aplicativo no país para encontrar passageiros. Outros 5.000 motoristas utilizam o UberXl, que oferece vans para transportar grupos de passageiros.

Na última quarta-feira (30/05), a empresa afirmou que continuará na Turquia apesar da nova legislação aprovada pelo governo do país.

A Turquia não é o único país a entrar em choque com o Uber. O aplicativo já foi banido ou forçado a abandonar os mercados da Bulgária, Dinamarca e Hungria. O Uber também funciona de maneira limitada na França, Itália, Alemanha, Japão e Taiwan. Com informações do DW.

Supermercado cunha