Jeferson chama opositores que torcem contra ações do governo de “descarados”

Prefeito classificou ato como "vírus mau". A declaração foi feita na Quitéria na última sexta-feira (29).

Jeferson chama opositores que torcem contra ações do governo de "descarados"-Foto: Bahia Manchetes.

O prefeito de Madre de Deus, Jeferson Andrade (DEM), chamou de “descarados” os opositores que torcem contra ações do governo que podem beneficiar a população e classificou essa atitude como “vírus mau”.  A declaração foi feita na Quitéria na última sexta-feira (29), durante o discurso antes de assinar a ordem de serviço para início das obras no bairro.

Segundo ele, no município estão “criando um vírus mau, ruim, negativo, estragado, contaminador” que quer “o quanto pior, melhor”.

“Ele quer que a Quitéria não dê certo, ele quer que os empregos não aconteçam, ele quer que a ponte de Maria Guarda não aconteça. Parte, parte… Porque eu respeito opositor, eu só não respeito descarados que torcem contra o nosso povo, que torcem contra vocês, que torcem contra o benefício da cidade “, declarou Jeferson.

Ele disse ainda que não admite que pessoas que se dizem de bem , e que querem representar o povo da cidade, torcem contra a urbanização da Quitéria.

Em seguida, o mandatário menciona uma lenda urbana e faz gestos com às mãos, relatando que no passado crianças cruzavam os dedos para evitar que os cachorros fizessem suas necessidades.

“Muita gente faz assim oh… Vou repetir o que eu disse na Cururupeba quando nós estávamos lá entregando o CAPS [Centro de Atenção Psicossocial]. Isso aqui gente é o seguinte: eu quando era criança cometia a maldade, aí a lenda urbana diz que quando você faz assim oh [cruza o dedos]  é pra o cachorro não fazer as fezes. Né isso?  Pra não sair, pra não acontecer, tem muita gente na oposição que quando a gente faz assim oh, vai sair a Quitéria! A galera oh: ‘não, não, não, não, não’.Essas pessoas do mal, não estão pensando… É porque ele não mora aqui”, disse.

Na prática, o prefeito se refere a parte da oposição como “crianças”, que conforme a lenda citada por ele, torciam para que o animal não deixasse as fezes na rua.

Apesar do esforço para destacar que existem opositores que torcem contra o município, a comparação não soou bem para o gestor.