Jailton critica Jeferson e Nilton rebate: ‘Quando há uma insatisfação, pede pra sair’

Jailton e Nilton participaram de entrevistas nesta quarta-feira (9).

Jailton critica Jeferson e Nilton rebate: ‘Quando a insatisfação pede pra sair’ (Foto:Reprodução Facebook)

O vice-prefeito de Madre de Deus Jailton Polícia (PRB) criticou o prefeito Jeferson Andrade (DEM) durante uma entrevista na rádio Baiana Fm na manhã desta quarta-feira (9). Segundo Jailton, o gestor chamado por ele de “autoritário” nunca o valorizou, e  lembrou que foi escolhido para  vice por causa do povo, e que tanto o mandatário quanto a coordenação politica não queriam seu nome na chapa.

Ele acusou o ex-aliado de ser “ausente” ao destacar  que o chefe do Executivo só anda de carro blindado na cidade. “Eu acho inadequado para um político, se você precisa do povo, você bate na porta do povo a todo momento por que depois se afasta do povo?”, questiona.

Ainda conforme o vice, o seu partido deu 50% dos votos ao gestor, disse ainda, que além do irmão do prefeito, o secretario de serviços públicos, Jacson Andrade,  e da esposa, a secretaria de desenvolvimento social, Naiara Cardoso, existem empresas ligadas ao irmão. Ele cita como exemplo a JG que pertence ao concunhado do irmão do alcaide, que faz manutenção de internet pública no município.

 “Ele (o concunhado de Jacson) tem um contrato que se iniciou desde quando ele  (Jeferson) foi presidente da Câmara, e até hoje esse contrato só fez aumentar cada vez mais. A família hoje de Jeferson é quem domina a cidade”, denunciou.

Para Jailton em 2018, Jeferson não fez uma boa gestão, discorrendo em seguida sobre problemas na administração municipal como o Parque Industrial que foram gastos R$ 2,5 milhões, que ele descreveu como um “buraco”, a obra do Bairro da Cururupeba que não foi concluída, e o Centro Cultural, que segundo ele, nunca funcionou, mas foram investidos R$ 1,5 milhões .”No inicio deste mandato ele começou a reasfaltar a cidade em locais que não tinha necessidade”, diz e completa afirmando que tentou alertar o gestor.

De acordo com o vice, o prefeito gastou R$ 12,5 milhões com o Centro Municipal de Educação Infantil Frei Godofredo Raulf, logo depois,  acusou o gestor de “superfaturar” o empreendimento que foi gasto cerca de R$ 8 milhões a mais. Questionado pelo apresentador, se a gestão era desonesta, ele pondera, mas afirma que existe “indícios”.

Logo após as declarações de Jailton, o deputado estadual eleito, Nilton Bastos, em entrevista na rádio Madre FM rebateu o vice-prefeito. O deputado utilizou mais de 1h na emissora, para destacar  as ações do prefeito Jeferson que foram criticadas por Jailton como o Centro Municipal de Educação e o Bairro da Cururupeba, que ele descreveu como “obra grandiosa” que mudou a vida das pessoas. Sem citar nomes, ele disse que o grupo político “não pode colocar alguém que trate” o município com interesses individuas.

“Não adianta a gente pensar em mudar só por mudar, botar alguém que não tenha de repente experiência de administração que não tenha experiência na política ou que pense apenas olhando para seu próprio umbigo”, afirma.

Segundo  Nilton, ‘todas as decisões são tomadas em grupo’, ressalta ainda, que o prefeito se reúne com o grupo político sempre que precisa tomar decisões. O deputado descreveu Jeferson  como um político  “democrático”  que está disposto a “ouvir”.

Após chamar Jailton de “amigo”, ele disse que tem “gratidão” pelo prefeito Jeferson e alfineta o vice ao afirmar que “as pessoas costumam as vezes não olhar para trás”, em seguida, agradece ao chefe do Executivo.

“Se hoje eu sou deputado, começou um dia quando alguém despertou na minha cabeça um caminho de ocupar um cargo público”, disse.

O deputado ainda reforçou o apoio ao prefeito, acrescentando que deseja boa sorte a Jailton. Nilton não descartou a possibilidade de uma união entre o vice-prefeito e o candidato de Jeferson nas eleições de 2020.

“Pode haver em qualquer momento qualquer união, isso não impede a possibilidade de qualquer união, inclusive, com outro adversário”,  afirma.

Em seguida, ele rebateu Jailton ressaltando que todos integrantes do grupo político participam das decisões, logo depois, foi enfático ao afirmar que “quando há uma insatisfação, se ela é insuportável” e  impossível de avançar, sou o primeiro a pedir pra sair e virar a página.