Hospital de Madre de Deus rebate críticas, nega falta de médicos e afirma que vai acionar a justiça

Alguns vídeos foram feitos, e postados nas redes sociais, para denunciar a situação na noite de terça-feira (7).

Hospital de Madre de Deus rebate críticas, nega falta de médicos e afirma que vai acionar a justiça

Após denúncia de moradores sobre a falta de médicos no Hospital Municipal de Madre de Deus na última terça-feira (7), a direção da unidade negou, justificando que os profissionais de saúde estavam atendendo outros pacientes e que a gestante foi assistida e regulada para o Hospital Ouro Negro, em Candeias.

” Toda diretoria do Hospital HMMD, junto com a Secretaria de Saúde trabalha em consonância, comprometimento, habilidade, discernimento e capacitação técnica em saúde”, salientou a nota da unidade de saúde enviada ao Bahia Manchetes na tarde quinta-feira (9).

No texto, a direção rebateu às críticas,  repudiou o vídeo compartilhado nas redes sociais e apontou que vai acionar a justiça.

“Chamo a atenção para a importância que se deve ter dentro de uma instituição hospitalar que recebe pessoas fragilizadas onde a perturbação da ordem foge ao código de conduta moral”.

Por fim, a direção informa ainda que a gestante passa bem e ressalta que o Hospital  “não é de alta complexidade e todas as intercorrências que exigem maior atenção são encaminhadas” para outras unidades.

Confira a nota na integra:

A Direção do Hospital Doutor Eduardo Ribeiro Bahiana, pertencente ao município de Madre de Deus, em nome de todos os funcionários, em especial médicos e enfermeiros que servem a esta Casa, vem à público expressar nota de repúdio ao vídeo que circulou em redes sociais tratando de forma sensacionalista, alarmista, generalizada e parcial o atendimento aqui prestado.

Respeitamos a liberdade de expressão, um dos princípios que regem nossa Carta Magna, dentro do Estado Democrático de Direito, entretanto não corroboramos com comportamentos inadequados que visam, de forma irresponsável, provocar tensões entre munícipes e as esferas envolvidas com a administração hospitalar, ora atuante. Outrossim, não aceitamos a culpa de todas as mazelas que por décadas atingem o sistema saúde no Brasil em particular a falta de médicos em todo o território nacional. Estamos trabalhando com afinco. A categoria que lida com a vida merece respeito e não deve ser desqualificada provocando tensões negativas entre munícipes e a sociedade brasileira como um todo.

Informamos que o atendimento a parturiente foi prestado. Os médicos que estavam na unidade encontravam-se em atendimento a outros pacientes que também adentraram a emergência e, logo após finalizar o procedimento, a paciente foi regulada para o Hospital Ouro Negro, em Candeias, nosso parceiro na promoção do cuidado com A VIDA.

Acrescento ainda que toda diretoria do Hospital HMMD, junto com a Secretaria de Saúde trabalha em consonância, comprometimento, habilidade, discernimento e capacitação técnica em saúde. Todos os fatos foram e estão sendo averiguados para tomada de medidas jurídicas cabíveis.

Chamo a atenção para a importância que se deve ter dentro de uma instituição hospitalar que recebe pessoas fragilizadas onde a perturbação da ordem foge ao código de conduta moral.

Informamos ainda para toda comunidade que nosso hospital não é de alta complexidade e todas as intercorrências que exigem maior atenção são encaminhadas a outros hospitais, a exemplo do Hospital Ouro Negro, no município vizinho ao nosso como foi feito com a parturiente que passa bem, segundo as informações recebidas.