Com voz embargada, olhos marejados e gritos Anselmo se defende de acusações: “Eu nunca roubei”

Durante o pronunciamento, Anselmo pediu para os vereadores e público presente provarem que ele é criminoso.

Com voz embargada, olhos marejados e gritos Anselmo se defende de acusações: “Eu nunca roubei”

O vereador  Anselmo Duarte (DEM) usou a Tribuna da Câmara Municipal, durante a sessão de terça-feira (9), para se defender de forma mais enfática contra as acusações nas redes sociais que o classificaram como criminoso em Madre de Deus. O parlamentar foi inserido por internautas de forma vexatória, a cartas que fazem referência ao  “Baralho do Crime” da Secretaria da Pública da Bahia (SSP-BA) , e que, foi compartilhado amplamente na web.

Em uma publicação numa rede social com a legenda: “Iremos apresentar a todas autoridades entre elas o Ministério da Justiça e CNJ, assim como toda a imprensa nacional, que aqui em Madre de Deus, temos um Baralho do Crime com alta periculosidade.” Abaixo do texto, a imagem dos cinco agentes políticos que foram acionados num inquérito civil público, instaurado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) para investigar um suposto esquema de “enriquecimento ilícito” praticado no Legislativo Municipal, durante os anos de 2010 e 2012.

Em julho do ano passado, a justiça determinou o afastamento do vereador Anselmo e outros quatro acionados entre eles, o prefeito Jeferson Andrade (DEM), mas o Tribunal de Justiça da Bahia reverteu a decisão. (Relembre aqui)

Durante o pronunciamento, Anselmo pediu para os vereadores e público presente para provar que ele é criminoso. “Eu quero aqui dizer para todos vocês que estão aqui. Todos vocês, inclusive, vocês vereadores desta Casa, que prove que este nobre vereador é um criminoso”, afirmou. (veja vídeo abaixo)

Aos gritos, ele afirma que colegas do Legislativo “pegaram pesado” e “não sabe nem o que fez na rede social”. Apesar de não citar nomes, a declaração foi direcionada ao vereador Val Peças (PSL) depois que o perfil dele compartilhou a publicação do “Baralho do Crime” no Facebook.

Com a voz embargada e os olhos marejados, Anselmo disse que “se emocionou” ao ver sua filha no plenário.

“Será que ela viu na rede social o que eu vi aqui? No Baralho do Crime! Eu nunca matei ninguém, eu nunca roubei. Gente será que eu preciso aqui tá dizendo que cada um de vocês, sem provar nada, dizer que todo mundo aqui é criminoso, é ladrão? [sic]”,questionou Anselmo.

Em outro momento, o parlamentar perguntou ao vereador Paulinho de Nalva (PRB), se ele teria articulado e negociado para assumir o comando da Casa.(veja vídeo abaixo)

“O senhor pode dizer que não negociou, e eu posso usar outros termos e o senhor vai dizer que é verdade”,afirma.

O edil justifica que esse é um tramite normal da Casa, ressaltando que “existem os cargos na Casa Legislativa” ao questionar o presidente se foram divididos.

“Se não foi diga! Eu uso agora outras palavras, respeite-me para ser respeitado. Eu não gostaria de estar aqui me exaltando, mas é muito doloroso gente, você sendo acusado sem nenhuma prova”, asseverou. 

“Cadê a materialidade desse bendito processo do termo de acordo, cadê as provas?”, refuta.

Veja vídeo abaixo: